Nossa felicidade está além da razão

por Helen Fernanda

Já sabemos que a felicidade não é um paraíso bonito, perfumado e definitivo onde nada dá errado, mas sim um estado mental consciente que reconhece os prazeres do momento presente e chega à óbvia conclusão: já somos felizes agora. Tem muita coisa fora do lugar, mas precisamos entender que o caos é a ordem natural das coisas e em seguida aceitar a felicidade porque temos motivos para sorrir ou para chorar e tanto sorrir como chorar vai nos fazer bem.

A felicidade tem vários inimigos. Um dos mais conhecidos é a ansiedade. Não precisamos ansiar o futuro. Não é preciso ganhar na loteria. Não vai ser depois do casamento, depois do primeiro filho, depois de conseguir aumento no trabalho. Já somos felizes agora porque reconhecemos o quanto já somos privilegiados, o quanto já conquistamos. E se não estamos satisfeitos com alguma coisa, podemos mudar. Não somos árvores. Nossas raízes são imaginárias.

Outro inimigo é a racionalidade desprovida de intuição, emoção e, consequentemente, de empatia. Sem a emoção, vamos nos "robotizando", vivendo mais tempo no modo automático do que no modo consciente. Cada vez mais desconectados da natureza e das outras pessoas.

O modo automático não é exatamente um defeito, é uma defesa do organismo. Quando a gente mora em cidades maiores - e enfrenta trânsito, violência, poluição, barulho, bruscas alterações climáticas… - passa boa parte do dia no modo automático porque no modo consciente poderíamos surtar de vez com tanta confusão e insalubridade.

Mas precisamos saber quando é hora de voltar ao modo consciente para contemplar uma arara azul em pleno voo, um ipê florido, uma mãe amamentando um bebê, um pai brincando com os filhos, um gatinho lambendo um cachorro, o nascer e o pôr do sol… Essas belezas da vida não estão só em páginas bonitinhas da internet. Estão na vida real e muita gente está perdendo.

Se você sente que está passando tempo demais no automático - lado esquerdo do cérebro - e quer saber mais sobre a importância de estimular a intuição - lado direito do cérebro -, recomendo o documentário Inn Sæi, que está na Netflix. Além de um conteúdo muito interessante, o filme tem imagens lindas que por si só já colocam o lado direito do cérebro para trabalhar mais. Vale a pena sair do modo automático para aproveitar esse documentário.

Inn Sæi é uma expressão islandesa que tem vários significados, todos relacionados à nossa riqueza interior. No fim do documentário eles explicam tudo.

Bom filme!

Fotos: Pixabay

Comentários

Inspire-se